16 de dez de 2012

a vida depois do craft


Essa semana foi muito especial. Eu observei que neste ano que passou, as coisas ao meu redor ficaram mais bonitas. A vida de quem deixa família, amigos, pátria e clima tropical não é fácil e o meu hobby me ajuda a continuar levando. Eu acho que já o tinha mas ele ficou mais forte. Fazer algo com as mãos não significa apenas tornar algo bonito, tornou-se também consciente com o uso de reciclagem aliado ao artesanato, à economia no orçamento, o desprendimento do consumo excessivo e automático, o estímulo à criatividade e à praticidade no dia-a-dia. Há muito tempo eu não compro itens de decoração pra minha casa. Transformar o que já tenho tornou-se espontâneo quando começo a pensar no que fazer para melhorar um ambiente. Muito é reaproveitado ou reinventado. A máquina de costura estava aqui há dois anos e mal costurei neste tempo, consertava algo aqui e ali, era impaciente com a quebra de linhas constante, apesar de ter ficado emocionada ao ganhar do marido no primeiro aniversário na Alemanha. Foi algo que não esperava. Me resgatava a infância e adolescência ajudando ou atrapalhando a mãe na máquina que ainda sustenta a casa com uma produção em serie, nada artesanal. Havia pouco tempo para matar a curiosidade de uma criança que só queria brincar de costurar. Apesar do pouco tempo pra se dedicar, valores foram transmitidos. Como pode algo tão simples me fazer tão feliz?


E então veio a lojinha. Primeiro, fiquei sabendo do DaWanda, um portal de vendas de artigos feitos à mão por meio de uma revista. Fiquei encantada quando vi da primeira vez. Blogs associados aos perfis me fizeram descobrir que a coisa já estava quente há muito tempo. Tanto aqui na Europa como no Brasil. Nesta semana, tive um primeiro singelo lucro. Vendi bem na lojinha e não acreditava que aquilo estava acontecendo. Mãe e marido, embora orgulhosos, riram de mim no inicio, tiravam sarro, dizendo que a loja seria só um enfeite. Eu já ganho tanto com o sorriso na cara quando o produto está pronto e exposto e ver que alguém paga pelo meu trabalhinho me fez pensar como é gratificante essa pequena atividade. No começo, os produtos eram mal feitos, as fotos eram péssimas, as criações estavam sem identidade. Para me inspirar, passei a investigar, descobrir tendências, gente criativa e talentosa e um dia chego lá, mas sei que estou chegando perto, só pela força de vontade. Falta tempo, dinheiro pra comprar tecidos desejados pra colocar tanto amor em prática. Precisei estudar cores pré-definidas para não exagerar na compra de material, pesquisar muitos preços de fornecedores e começar a pensar como um pequeno negocio, para não extrapolar no financiamento do hobby porque não ganho tão bem assim e acho inclusive que tudo em excesso não é saudável.



Os meus olhos já não são os mesmos. Tudo o que vejo, enxergo com os olhos de uma artesã. Achei palitos de churrasco numa arrumação da casa e já fui guardando para fazer tulipas de tecido na primavera, para combinar com as de verdade que plantei no jardim. Caixas, papéis, qualquer coisinha que eu encontre, vai sendo armazenada para um futuro projeto craft. Não quis gastar um centavo na guirlanda de casa e fiz a minha com o que ganhei da sogra e com o que tinha, assim como os enfeites da árvore de natal. Artigos feitos à mão eram despercebidos em lojas da região e desta vez, ao tirar fotos destes aí em cima, percebi que até um funcionário da loja me seguia com um telefone sem fio na mão pra entender por que a louca aqui tirava fotos dos produtos da loja. Não aguentei e comprei o anjinho, para prestigiar o artesanato e fazer um bom natal, pagando por produtos a pessoas de verdade e não para empresas multimilionarias, assunto sobre o qual já falamos aqui no blog. Só nesta semana foram um estojo e um porta-moedas feitos em casa para presentes de aniversários no fim de semana, todo pequeno presente começa ser feito em casa. Li um artigo do jornal Valor Economico por meio de uma recomendação da fanpage no Facebook do blog Assim ou Assado, da Dani, cujo titulo era: "Crafter, o artesão do seculo XXI". Fiquei encantada ao ler essa frase porque é a mais pura verdade. Assim como no Mercantilismo, quando os artesãos da Idade Media passaram a vender seus produtos e não apenas fabrica-los para sua própria necessidade, nós estamos fazendo o mesmo agora, graças a internet. Fazer parte disso é demais. Conhecer gente, me inspirar, ver criatividade e bom gosto, dividir aqui no bloguinho tudo isso. A vida não é mais a mesma depois do craft.



As fotos são do meu perfil no Instagram. Onde registro alguns achados, perdidos e criados.
Vamos nos encontrar por lá?

11 comentários :

  1. Oi Priscila!
    Que lindo post.

    Acho que a medida que vamos 'mergulhando' mais no universo craft, nosso olhar muda mesmo.

    Aí entra a curiosidade do 'como foi feito' , a vontade de fazer.

    E trabalho bonito não é sinal de muito gasto, é puro talento, criatividade e amor em tudo que se faz.

    Puxa, você tem de sobra por aí :)

    Também estou aqui com alguns presentes craft, que podem ficar prontos até o dia 24 rs

    Torço para que você tenha mais e mais sucesso na sua loja.

    Que 2013 seja um ano de muita inspiração e criatividade! :)
    bjs,ótimo domingo!

    A com certeza é sempre uma vida mais feliz.
    Porque é o tipo de trabalho que você só faz se gosta...
    Tem altos e baixos, mais faz muito bem ao coração a paz de espírito! ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Maria.
      Esse foi um momento de alto, acho que foi o Natal que trouxe boas vendas mas isso me fez olhar melhor pra lojinha e para toda a inspiração que existe por trás dela.
      Desejo o mesmo pra você e obrigada sempre pelo carinho e seus comentários aqui no Costuramor. ♥

      Excluir
  2. Oi Pri,
    Eu me identifiquei com o texto, pois sou uma antes e depois de ter descobrido o mundo craft. Até setembro do ano passado, nunca tinha feito nada na minha vida. Só me expressava através do ato de cozinhar. E depois de gastar tantas tantas tantas horas pela internet a fora, eu me perguntei: porque só olhar? E aí não parei mais. Até sonho com as coisas que vou fazer. E tem mais, na vida de expatriada o fazer ocupa minhas mãos e minha mente.Eu me conectei com minha essência. Em janeiro, volto ao Brasil. Quero MUITO continuar abrindo espaço na minha vida para o craft.
    Nào é por nada não: te conheço a pouco tempo e já vejo muitas mudanças no seu trabalho. Está cada dia mais lindo: adorei a bike! beijo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu me perguntava o mesmo, Dani.
      Ainda mais com a máquina de costura guardada.
      Eu também sonho com muita coisa, ri quando li isso de você porque respiro esse hobby.
      Estou aqui acompanhando suas criações, eu adoro seu blog.
      Obrigada, Dani. Eu noto uma melhora também, ando meio apaixonada por isso. :)

      Excluir
  3. Oi Priscila!
    Ótima semana criativa e de sucesso na lojinha :)
    Hoje meu dia está bem apertado, volto só mais tarde!
    bjs,
    Ah, você está no resumo da semana!
    Sei que vai aparecer na #sextacriativa, mais 'peguei' também rs
    Pode ,né? rs
    É que foi a coincidência das guirlandas es

    bjs,ótimo início de semana e dia criativo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Será que sai, Maria? :)
      Eu conferi a semana de guirlandas, parece que foi combinado!
      Incrível. Você descobre cada coisa linda. Fui visitando pra ver e elogiar.
      A minha ficou tão sem graça perto das delas.
      Beijo!

      Excluir
  4. Pri, eu fiz as minhas na FIXOTERM, pera vc esta no Brasil ou na Europa?
    Acho que fiquei confusa...

    Se for no Brasil é fixoterm é boa e tem um preço bom, só que precisa ficar no pé pra fazer rapido!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Olá, adorei conhecer teu inicio de profissão, eu adro fazer crochê tenho uma armário cheio de trabalhos mas sou tão ciumenta com minhas invenções. Ganhei uma maquina de minha sogra, fiz algumas cortinas, fiquei super empolgada, ai fui fazer uma almofada de pedacinho de tecido, ficou um horror, tudo torto, mas não vou desistir vou fazer um curso para aprender técnicas. Lindos teus trabalho, é uma alegria ver que fomos nós que fizemos coisas tão belas. Sua visita me deixou muito filez e também de conhecer um pouquinho de tua vida. Sucesso em 2013, daqqui uns dias tua loja não vai dar conta dos pedidos.
    Bjos e tenha uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  6. Pri, que relato bacana o seu. Você vai longe, pois é criativa, inteligente, curiosa, e prendada. Torço por você. Meus parabéns pelas vendas, e que você tenha sempre sucesso em seus empreendimentos.
    Você tem razão, quando a gente aprende, a gente aumenta os nossos horizontes, e começa a enxergar as coisas sob uma outra perspectiva.
    Isso aconteceu comigo em relação à fotografia. Antes não considerava fotografia uma arte, hoje vejo o potencial da gente poder se expressar através dela.
    Way to go girl, I wish all the success in your life.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Regina.
      Suas fotos são a prova disso, elas pegam os sentimentos.
      Um beijo! ♥

      Excluir
  7. Eu não acredito que não vi esse post..
    Pri,amei!!
    É verdade,muitas vezes as pessoas que estão ao nosso lado não dão valor..sinto por isso..pois sinto isso na pele,infelizmente é muito real de nós,artesões..
    Vamos seguindo em frente!!fazendo o que amamos fazer!Eu senti muita força na internet,na blogosfera mesmo.Pessoas que não me conhecem pessoalmente me dão mais força do que as que me conhecem..
    xerOO

    ResponderExcluir

Obrigada por costurar seu comentário aqui no bloguinho! ♥
Perguntas são respondidas no seu blog.