14 de mar de 2013

sobre nossos pequenos negócios criativos





Andava desanimada com meu pequeno negócio criativo. Desencanei por um tempo e passei a fazer coisas pra mim. Foi ótimo. Foi a primeira vez que ganhei coisinhas que iriam pra loja. Com a lenta chegada da primavera, deu um colorido na minha casa e na minha alma. Mas desencanei tanto que fiz vendas e mal percebi. Aprendi que não se deve cobrar com isso. Que o pequeno negócio é algo paralelo e não uma prioridade.

Tomei a iniciativa de escrever esse post a partir de um e-mail escrito por uma nova leitora do bloguinho ao costuramor@gmail.com me dizendo já ser uma crafter e que estava pretendendo abrir uma lojinha online e perguntou a mim se há retorno de lojas nos portais do Etsy e DaWanda, o que achava dos portais de venda de artesanato brasileiros, sobre como é ser crafter e como divulgar através de mídias sociais e blog. Primeiro me perguntei: quem sou eu pra dizer algo? Mas ela considerou que vendo no exterior e tenho contato com crafters brasileiras. A pergunta que me fiz ao me afastar da produção para a lojinha e a própria pergunta dela é: como vender?

Eu fui bem sincera e respondi dizendo que:

1.O RETORNO é pouco no início e apesar disso o maior retorno é ver que alguém admirou e comprou meu produto e não dinheiro em si

2. O SUCESSO é uma junção de um espírito criativo e um espírito administrativo. O administrativo não despertou em mim ainda. Nada trágico, acho que é um processo lento.

3. O INOVADOR VENDE: Creio que há tudo em todos os lugares. Então, por que pagar uma taxa de entrega de um produto que mal posso tocar se ali na esquina se vende um industrializado?
- o Feito à Mão agrega valor e amor ao produto
- ele é inovador, diferente, único. Se eu quisesse mais do mesmo, compraria na esquina.

4. CONFIAR EM SI MESMA é tudo. Faz com que sigamos a nossa intuição e possamos acreditar no   produto que tem potencial de venda. Que não se deve contar a todos como vai o negócio, se vende mal ou bem. A opinião das pessoas é uma opinião de quem vai ao shopping e compra da loja que tem um faturamento absurdo e não de quem vê o valor, o amor que o Feito à Mão carrega. Tem sempre alguém pra pôr a gente pra baixo e faz piada que não vendemos nada. Não sei vocês mas meu  marido é o primeiro da lista. Use o Feito à Mão como uma terapia. O que se fala numa consulta com terapeuta, não se fala com ninguém.


Como vender como aquelas artesãs que vendem tanto em um período tão curto?
Basicamente, o retorno da lojinha online é complementar, mas isso também é muito relativo. A gente não sabe a ocupação dela, a idade e a experiência, os motivos que a levam a ter um pequeno negócio. Ou se ela já tem uma loja física e usa a ferramenta dos portais de artesanato com recursos de pagamentos seguros para ampliar as vendas. Não me aborreço mais com os números dos outros à toa.

Divulgar pelo blog ajuda a vender?
Nunca me trouxe venda diretamente, mas trouxe experiências. A blogosfera me mostra técnicas que emprego nos produtos e que foram vendidos. Dificilmente, uma leitora compra o produto, mas trocar figurinhas traz informações úteis para a criação.

Como o portal de artesanato ajuda o vendedor?
Primeiro, ele ensina a pescar com as dicas dos blogs. Acho os blogs do Elo7 e do Etsy fantásticos porque ensinam desde a descrição do produto até a fotografar, mostram tendências, cores da moda e como usar as datas comemorativas, eventos e estações do ano a favor. O DaWanda me recomendou fazer uma categoria na loja com  produtos a 20% de desconto e deu certo. Vendi com isso. Selecionei os menos vistos e coloquei nessa categoria. Tenho uma ferramenta de estatísticas da loja.
O DaWanda e Etsy oferecem lugares patrocinados na página inicial ou mais bem posicionados na pesquisa de produtos. Já contratei e nunca me trouxe vendas imediatas, mas é possível que o comprador tenha visto e voltado depois que venceu o período do meu anúncio para comprar. 

Qual o melhor portal de vendas de artesanato para vender?
Eu tenho a impressão de longe que o Elo7 é o primeiro, mas ainda acho o modelo dele muito Etsy pro meu gosto. Até o layout é parecido, as cores. Acho que o espaço dedicado ao vendedor poderia ser maior: o banner é pequeno, acho chato aquela identificação de 'Loja Pro' tão visível para o comprador e já reparei que o Elo7 agrega predominantemente aquele artesanato de Avó. Eu entendo que ele queira resgatar a nossa cultura mas ainda me parece que precisa de uma lata de tinta moderna, pregar um incentivo  de craft moderno nas vendedoras pelas mídias sociais, newsletters, blogs... O site da Tanlup me agrada muito mais. O site é bem organizado e permite até um domínio próprio quando desejado. A loja do Bonifrati nem parece que é do Tanlup de tão boa que é a aparência. 
Aqui eu estaria entre Etsy e DaWanda. Fiquei com DaWanda porque vende mais na Alemanha.


Agora, eu pergunto a vocês que têm loja no Elo7, Tanlup ou em outro portal de venda de artesanato:

Que ferramentas os sites de venda de artesanato oferecem para ajudar nas vendas? 
O que você acha deles? 
Que estratégias usou na loja que ajudaram a vender? 
Vamos nos ajudar trocando experiências. Também adoraria saber.



33 comentários :

  1. Oi Amiga, adorei o artigo, eu acho que sua loja ainda vai crescer muito, pois seu talento eh algo impar. Se eu fizesse artesanato eu tentaria inventar algo peculiar, uma marca registrada, pois acho que foi assim que a moca da Tilda e a Cath Kidston se destacaram e tornaram-se empresas mundialmente conhecidas. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem observado, Lari.
      Estão aí duas musas pra gente do mundo craft.

      Excluir
  2. Acredito que esta reflexão que você faz é o passo inicial para compreender o que significa ser um empreendedor. Se morasse no Brasil eu indicaria o SEBRAE para você. Mas vale uma visita ao site porque inclusive eles oferecem cursos a distância (gratuitos).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Beatriz. Embora o craft seja um fenômeno recente e ainda crescente no pais, vale a pena.
      A venda do artesanato ainda é muito especifico.
      Acho que também temos que nos informar muito sobre as tendências, as novidades.
      Mas valeu a dica, vou olhar!

      Excluir
  3. Ei, Pri!

    Muito legal seu post! Essas dificuldades administrativas ou comerciais são comuns nesse nosso universo criativo. Quem nos dera apenas criar, né? Mas temos que lidar com a parte chata e aprender com isso. O que é muito legal no fim das contas, pois adoro aprender!

    Sobre esse negócio das pessoas nos colocarem pra baixo em relação às vendas e ao futuro do nosso negócio criativo, eu sempre falo o seguinte: o objetivo não é virar uma multinacional, e sim desenvolver minhas habilidades e compartilhar com quem se interessar. Se ninguém se interessar hoje, tudo bem, mas eu continuarei fazendo, aprendendo e melhorando o suficiente para que talvez amanhã alguém se interesse. Nada do que fazemos é em vão. Cada vez que fazemos algo, nossa técnica é aperfeiçoada. Até mesmo as horas que passamos na internet trazem retorno pois aprendemos quando pesquisamos sobre técnicas, materiais, fornecedores, produtos mais vendidos, preferência do público, etc. Até mesmo visitando nossos blogs amigos, pois estamos investindo em marketing!

    Eu gosto muito do Tanlup, mas uma coisa deve ser dita: eles não ajudam vc a vender em nada. Como o sistema de pagamento deles é mensalidade e não por comissão, eles não sentem necessidade de divulgar os produtos. Assim, vc tem que se virar pra conseguir divulgar sua loja.

    E vamo que vamo nos divertindo, que no nosso caso, é lucro! rs

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Adorei saber disso, Cynthia!
    Eu desconheço esses detalhes por não ser vendedora.
    No DaWanda, a hospedagem é grátis com o nome do DaWanda no domínio e taxas são cobradas como comissão.
    Não há mensalidades, mas há anúncios.
    O Tanlup parece então mais indicado pra quem já tem um negócio independente.
    Obrigada por dividir aqui com a gente! :)

    ResponderExcluir
  5. Oiii Pri,
    é nesse assunto eu sou leiga, então estou só passando para dizer que amooo seu trabalho, desejo muitas prosperidades na sua lojinha.
    Gostei do que vc disse, para começar sem cobranças, que o pequeno negócio é algo paralelo e não uma prioridade, é bom começar sem tantas expectativas, se realmete for para a felicidade e da vontade de Deus vai dá certo!

    Bjoos, eli.

    ResponderExcluir
  6. Oi Priscila,

    Seu post merece '5 estrelinhas'.
    Adoro a sua maneira de expor esses assuntos.
    Meu marido torce muito, mas fica na dele. Ele acha que devo investir em mais coisas, aproveitando o monte de coisas que tenho por aqui e o fato de gostar de fazer!

    Eu desde que resolvi levar a sério um negócio criativo, 'desencanei' de algumas coisas.
    Não podemos comparar vendas com ninguém. O produto é único e quem faz/vende também.
    Sei que existem épocas boas, épocas ruins e acho que todas sonhamos em um dia viver somente desse trabalho colorido, criativo e gostoso de fazer.

    Mas nem por isso podemos desvalorizar o que fazemos, mesmo sendo algo tão prazeroso, diferente de muitos trabalhos por aí rs

    Muitas pessoas questionam o preço, mas esquecem que pagam por produtos industrializados as vezes 3x mais só pelas taxas, impostos...nem percebem!

    Hoje em dia, vejo o feito à mão bem mais valorizado,invadiu o mundo da moda, da decoração e que ajuda a revelar esse mundo diferente.

    Tenho a loja na ELO7 mas não pretendo renovar o meu contrato, a partir de abril para cada compra efetuada,serão retidos 12%, e mais uma série de restrições no que diz respeito ao contato com o cliente, e outras coisas.
    Os benefícios que chamam de 'em troca' não estão valendo mais.
    Vários lojistas estão chateados, estou na lista.

    Registrei o meu domínio e estou montando uma loja e sei que é mais difícil ainda, pois reconheço que a ELO7 tem grande abrangência, e permite - como você falou - o pagamento de um taxa adicional para que os produtos apareçam nas primeiras páginas das pesquisas dentro da categoria cadastrada ( eu fiz e o número de vendas ainda não aumentou, mas o de visualizações deu um pulo!).

    Esse assunto já discutimos em comentários inclusive lá na Cynthia, que li lá em cima.
    Vou pesquisar a Airu, a ELO7 com essa taxa, faz com que os produtos fiquem mais caros, deixando de ser competitivo.

    Quanto ao castelinho, obrigada pelos elogios de sempre.
    Comecei a pensar em outras peças que pudesse fazer 'sem sair da caixa' rs e desenhei quatro.
    Mas estou pensando em outros produtos também.
    Acho que vale a experiência de colocar um na loja e testar, assim vamos errando e acertando.

    bjs,e obrigada pelo carinho de sempre.
    E , quem falou muito mesmo? rs
    bjsss

    ResponderExcluir
  7. Oi, Pri,

    Alguém diligente e que pensa com tanta clareza como você ainda há
    de crescer bastante, viu? rsrs. Vou dar uma dica, relativa à parte
    administrativa: faça um curso de Introdução às Pequenas Empresas no
    SEBRAE. Os cursos são ótimos, gratuitos e também - ON LINE!
    Com isso, a sua atividade passará de 'complementar' para
    principal! rsrs.

    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou pensando mesmo em dar uma olhadinha.
      Com duas leitoras recomendando, é de se considerar.
      Ainda mais com as palavrinhas online e gratuito. =D

      Excluir
  8. Oi Pri nossa este post até pareceu pra mim...
    aff eu estava bem triste com tudo em relação a vendas e tudo mais...
    depois deste post....vou pensar diferente...
    bjaooooo
    adorei seu post...
    =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não deixa a tristeza pegar.
      Eu aceitei que é uma coisa paralela, como disse.
      Ela completa. É parte de mim, acho que temos muito a aprender.

      Excluir
  9. Priscila, fiquei emocionada com este post, sabia?
    Porque simplesmente passo por este momento que você descreveu no primeiros tópicos e também na introdução do post.
    Adorei teu blog, teus trabalhos, os textos e a tua generosidade em explicar e ensinar tudo.
    Já estou te seguindo no twitter? Você tem facebook?
    Para não me estender demais, te convido a conhecer meu blog (que anda passando por reformas e portanto não esta 100%). Fico aguardando tua opinião.
    Você mora aonde?

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Nina
      Eu te respondi lá no seu bloguinho.
      Todas nos sentimos assim e percebi isso com o e-mail dessa moça.
      Achei que tinha que dividir.
      Já te vi no meu Twitter e não estou mais no Facebook.
      Moro na Alemanha.
      Beijinhos! ♥

      Excluir
  10. Olá Pri,

    Muito bom e claro o post. Tantas dúvidas que temos, que é muito bom encontrar alguém que mostra como resolveu as suas. Tenho um projeto futuro de ter uma lojinha e já vou guardando as sugestões de quem tem experiência.
    beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você tem tanto talento, Regina.
      Acho que você devia tentar sim.
      Fico feliz por ajudar as meninas nesse papo.
      Eu me sinto acolhida também. ♥

      Excluir
  11. Olha, tenho minha lojinha há um ano e meio, e digo que nem todos os meses são tão lucrativos assim. Dezembro é o mês mais agitado, dá pra fazer um dinheiro legal, mas nos outros cai bastante... Realmente não dá pra viver só da lojinha, tenho que juntar meu trabalho de design, como você disse, a recompensa é mais de ter alguém que gostou do que eu fiz, o retorno financeiro por enquanto não tem compensado tanto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o amor pelo Feito à Mão é a base de tudo.
      É um fenômeno lindo e temos que aproveitar, mesmo com pouco retorno.
      Nos faz sentir tão úteis e criativas.
      Eu adoro sua lojinha. :)

      Excluir
  12. Pri,
    Este post foi feito para mim. Eu. Maria e Cynthia já conversamos sobre isso. Irei montar minha lojinha no Tanlup, mas vou passinho a passinho. Tenho dado meus sabonetes de presente e pedindo sugestões/comentários. Agora, está aparecendo os primeiros pedidos (oba!).
    A melhor parte é que fico tão feliz com o que faço. Para mim, será uma atividade complementar, mas em médio não sei onde isso vai me levar. No limite, economizo nos presentes.
    Acompanhei os comentários do post.
    Que foto linda!!!!
    beijo,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também comecei com presentes para avaliar a qualidade das minhas costurices.
      Acho que esse post é para todas nós.
      É muito bom vender, dá um sentimento tão gostoso e quero mais.
      Também economizo nos presentes das amiguinhas, festinhas a visitar... :)

      Excluir
  13. OI Pri,
    Ter um negócio criativo não é fácil...
    Desde o ano passado decidi investir no meu negócio e estou na fase de estudo, teste e pesquisas de qual seria o melhor jeito de expor e vender minhas coisas. Durante esse tempo tive muita ajuda do marido e sabemos que essa nova "aventura" não será fácil, mas como você disse, será uma oportunidade para apresentar produtos feitos à mão para pessoas que valorizam esse trabalho.

    Ontem dei de presente para minha cabeleireira um dos meus sabonetes e hoje recebi uma encomenda... minha primeira reação foi: "Como assim, ainda não estou vendendo... nem sei que preço vou colocar". No fim, acredito que esse tenha sido o primeiro passo para me dar coragem de colocar a cara no mundo das vendas.

    O melhor de tudo isso é essa troca de experiências... e sabendo que outras arteiras também tem dificuldade, porém não desistem por amor ao que fazem... a venda é resultado do nosso esforço e talento...

    Continue firme!! Seu trabalho é lindo...
    Bjs e um final de semana cheio de inspirações!! =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rê!
      Obrigada por comentar aqui. O papo tá bom pra entender a coisa melhor.
      Acho que é bem assim mesmo, com os erros a gente vai acertando.
      Eu também tenho um post na cabeça sobre a precificação certa.
      Ainda quero postar sobre isso aqui.
      Vai maquinando seu empreendimento cheirosinho, Rê.
      Se já está fazendo sucesso... ;)

      Excluir
  14. ola PRI,achei muito bom vc abordar e assunto,no começo e muito dificil,as pessoas nao entende o que e fazer um artezanato com as maos,como vc bem disse,e feito com amor e carinho,as pessoas nao da valor nisso,mas tem as que da viu,eu mesma faço boneca linda,faço flores em eva,mas infelizmente aqui onde moro,e dificil vender,o que faço e promover nos evento da igreja,fazendo flores e arranjos para as mesas,lembrancinha de eva,no aniversario dou uma boneca,e hoje estou indo cha berço,e vou levar um painel para presentear a mamae e assim aguardar comentario positivos,e quem sabe alguma encomenda...nao desistir...as coisa que nos fazemos e um mimo.!!!!bjus no coraçao!!!

    ResponderExcluir
  15. Acho muito legal sua generosidade e despreendimento em 'espalhar' conhecimento - nota 1000 pra você.

    O lance é esse mesmo Pri, quando a gente 'vai com muita sede ao ponte' parece que as coisas não desenvolvem, mas a partir do momento que a gente relaxa, take it easy, se as coisas tiverem que acontecer em nossas vidas, elas acontecem.

    Um grande abraço

    ResponderExcluir
  16. Pri,
    achei fantástica a sua postagem!

    Eu faço scrapbook e resolvi abri uma lojinha virtual no ano passado.
    Usei a Divitae.
    A minha lojinha não durou mais que três, pois percebi que essa não era uma das minhas prioridades e que não tinha tempo para investir, criar e divulgar.
    Mas valeu a experiência.
    No tempo que fiquei com a lojinha aberta, pude ver a 'assistência' que a Divitae dá para os 'lojistas'. Por exemplo, época da Páscoa eles pedem para encaminhar os produtos com referencia da data e é divulgado através de e-mail, facebook, blog...

    Uma semana bem feliz para você! :)

    Abraços,
    Carol
    Um blog simples
    Facebook

    ResponderExcluir
  17. Pri,minha querida florzinha!
    Eu tenho a Lojinha na Elo 7,em maio faz um ano..e não sei se vou continuar por lá..
    Vou fazer uma pesquisa de outras lojinhas virtuais.Não vendo bem por lá..na verdade só me chega orçamentos.divulgo muito no facebook e twitter.Minhas vendas surgem daí.
    As vezes fico meio chateada com comentário que escuto..tinha uma senhora na primeira feira que fui que minha amiga falou para ela que deixamos de trabalhar em empresas para se dedicar ao artesanato.Disso ela disse:Que loucura,vão viver disso"?
    Mais vejo que faço o que gosto e que fui atras do que acreditava.
    Boa semana!xeroo

    ResponderExcluir
  18. Ei, Pri! Obrigada pela divulgação do sorteio! Vim te dizer que depois vou fazer um só pro blog! Fica tranquila!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  19. Oii Pri!
    Nossa, é tanta coisa que eu quero escrever, vamos por partes:
    Primeiro que fiquei contente em saber que você vai fazer um curso de corte e costura!! A professora está certa, começar pelas saias é o ideal, porque são mega fáceis de entender, sem falar que são mais difíceis de errar. Quando você estiver segura em costurar saias me avise, te mando um molde especial em comemoração! Você só me fala como gosta mais.

    Segundo, eu adorei o que tu escreveu sobre essa coisa de vender as nossas costurices e os artigos artesanais. Eu tenho loja própria, no Iluria, que é uma plataforma só pra montar a loja, nada de divulgação nem nada vinculado, tenho no Elo7 e no Airu. Acontece que eu estou trabalhando com duas linhas de produtos (os moldes de roupa e moda feminina contemporânea) e mantenho no Elo7 a venda dos moldes e no Airu a venda das roupas. Sei que é caro, mas acho que vale a pena. Mas sabe, por mais que esse mercado do feito à mão está valorizado e bem quente, tem muita gente fazendo tudo igual! De loja em loja a gente encontra os mesmos produtos, o mesmo apelo de compra. Sei lá, decidi investir na área de moda (a qual sou formada) porque me permite fazer coisas diferentes do que encontramos por aí, porque o artesanato está ficando cada vez mais uma mesmice... =(

    Boa sorte no curso, depois me conta como está indo!
    beijoos

    ResponderExcluir
  20. Pri, parabéns pelo post super interessante!!
    Realmente não é fácil, ainda mais pra quem está engatinhando (como eu... rs!).
    De início, preferi abrir uma lojinha como um blog mesmo, e tem dado certo. Claro que não vendo horrores, mas estou bem satisfeita com o retorno.
    Independente do local, a divulgação depende de nós, né!
    Boa sorte por aí, viu!!!
    Bjns
    :)

    ResponderExcluir
  21. Muito importante essa postagem. Me pergunto essas coisas quase todos os dias.
    Sou vendedora na Elo7 também e estou tão perdida sobre não renovar contrato pois quase todo cliente que recebo vem através deles.
    Estou insatisfeitíssima com essa taxa de 12% e pra piorar com essa moderação entre mim e meus clientes. Eles estão virando Mercado Livre.
    Queria ver se a Tamlup vale a pena, talvez eu fique com os dois ao mesmo tempo pra sentir se os produtos mais caros na Elo7 ainda têm mais saída que os mais baratos na Tamlup. Aí decido depois com qual ficar.
    O blog ajuda a divulgar um pouco sim, já tive clientes que vieram através dele,mas a maioria com certeza é da Elo7.

    bj

    ResponderExcluir
  22. Adoro seu jeito de escrever,sempre que estou pesquisando algum assunto e seu blog aparece é o primeiro que leio.Gosto de gente pertinente como você!!!!E como estou começando a querer comercializar o que pra mim é só diversão,minhas bonecas de pano e meu patchwork,este post veio a calhar.Beijo

    ResponderExcluir
  23. Oi, Ana!
    Fico feliz por ter dado um incentivo.
    A cada empurrãozinho que dou, eu comemoro! ♥

    ResponderExcluir
  24. Oi Pri!

    Sei que seu post já tem um ano, mas ainda assim gostaria de te dizer: Vim parar aqui neste post justamente porque tenho uma loja no ELO7 há dois anos e não estou feliz - principalmente depois desta mudança de abril/13 que várias pessoas comentaram acima. O sistema de comunicação entre comprador e vendedor ser intermediado pelo ELO7 foi o que mais prejudicou, na minha opinião - há falhas nele e as mensagens se perdem, às vezes.Depois de vários vendedores reclamarem, parece que consertaram.

    O que me desagrada no ELO7 é que eles divulgam nos e-mails sempre os trabalhos dos mesmos lojistas, o site é pouco personalizável (tô babando no Tanlup da Bonifratti até agora! <3) e ainda ficam com 12% das minhas vendas pra sequer visitar minha loja quando até mando newsletter pra eles. Mas ainda assim recomendo para quem está começando nesta vida de loja virtual de artesanato e não sabe configurar um site. É bem mais fácil de botar os produtos no ar, você vai aprendendo aos poucos com o blog deles (e o do Tanlup, mara também!) e vai pegando a mão.

    Também parei aqui pra te dizer que estou encantada com o seu blog! Me identifiquei muito com os seus textos e as suas costurinhas! Eu também sou apaixonada por estojos, necessaires, porta-objetos - e os seus são lindos!

    Como você disse que responde perguntas no respectivo blog de quem comenta, deixo o endereço do meu: balaiodetigre.blogspot.com.br . Minha loja é a Balaio de Tigre Artesanato - fique à vontade para conhecer quando quiser! =D

    Vou continuar devorando os outros posts do seu blog! *-*

    Obrigada!

    ResponderExcluir

Obrigada por costurar seu comentário aqui no bloguinho! ♥
Perguntas são respondidas no seu blog.