7 de set de 2015

reservas costurísticas

É só passar o calor que o convite pra se sentar à frente da máquina de costura chega. Irresistível nesse frio que chega, com uma bebida quente, tardes livres e muita inspiração. A minha inspiração geralmente não tem destino. A menina está crescendo, o menino não é muito fã das coisinhas que faço. Ele fica até feliz quando ganha mas não é a criança mais desenhista ou talvez meus trabalhinhos sejam muito femininos pra um menino que só ama correr pra lá e cá.



Portanto, o que faço fica guardado, de reserva. Produzo essas reservas costurísticas (amo essa palavra! ♥) caso apareça um convite de aniversário surpresa pra menina e já tenho um presente, ou parte de um presente pra mocinha. Até porque ela é cheia de amiguinhas e ainda vai mudar de escola em breve. Lá vem mais amigas ainda! 





De um tempo pra cá, depois de uma pressão desnecessária pra loja dar certo, passei a costurar pra mim mesma, pra minha vida, pra minha filha, pra minha casa. Eu mantinha uma lojinha de produtos feitos à mão, mas alguns erros na costura, um corte meio torto, um ponto errado não davam a qualidade que eu achava que minhas criações deveriam ter pra ganhar um dinheirinho com isso. Então, fechei a loja pra me identificar, planejar e pegar prática usando a costura como um hobby apenas como sempre foi, como uma verdadeira terapia. Mantenho o desejo de reabrir a loja, mas ainda não me sinto madura pra isso. 



É quando sento aqui que vejo que tantas pessoas desejam coisas materiais para serem felizes como gadgets diversos e cada vez mais descartáveis e eu... Eu só quero um pacote de fat quarter novo pra brincar, relaxar, pra fazer a máquina rodar.  
O ultimo pacotinho aí de tecidos radiantes são da designer britânica Amy Butler. O trabalho dela é uma primavera impressa em tecidos. Queridinha do Patchwork e Quilts, eu já tinha na minha lista há tempos o desejo de ter alguns pra me divertir.


5 comentários :

  1. Oi, Pri! Adorei esse termo: "reservas costurísticas"! Eu faço um pouco isso, mas como não sou prendada como você, vou comprando coisas bonitinhas que encontro pelo caminho: coisas de bebê, coisas que me lembram alguma amiga, coisas de adolescente (para as amigas da filhota) e elas ficam aqui aguardando ocasiões especiais que logo chegam.
    É engraçado essa coisa de não se sentir pronta. As pessoas mais competentes que eu conheço sempre se sentem assim! E eu não sou diferente (não que eu seja competente), sempre acho que precisaria saber um pouco mais, por isso esse novo projeto sobre Lisboa no Instagram é um grande passo para mim. Mas se a loja te gerava estresse em vez de prazer, melhor é curtir esse hobby como deve ser: com leveza e alegria!
    Tenha uma ótima semana, querida!
    Ah, já cortei o cabelo ;)

    ResponderExcluir
  2. As estampas dos tecidos da Amy são lindas e alegre, né? A combinação que vc fez ficou m uito linda e adoro o uso de galões! Acho que me lembra de algo da infância...
    Sempre me sinto uma estudiosa do patchwork e adoro isso! Estou sempre aprendendo e me divertindo com os resultados. Até o descosturar tem que ser encarado como um aprendizado.
    E realmente não depender disso financeiramente faz toda a diferença. Mas se, além de tudo, render uma graninha, seria fantástico, não é mesmo? Mas sem pressões!
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Ai a gente vê estas lindezas, lembra que Deus me deu duas mãos esquerdas para costurar e fica pensando "na outra encarnação quero ser costureira".
    Obrigado pela visita. Obrigado pelo carinho de sempre.

    ResponderExcluir
  4. Olá Pri, sou como vc: como não tenho "clientes" na família, tenho que esperar algum aniversário, nascimento , Natal ou outra ocasião para costurar alguma coisa. São tão raros os pedidos das filhas, que quando vêm até me surpreendo!! Suas bolsinhas estão lindas, os tecidos são um encanto. Sempre que vejo esse tipo de fecho eclair, me lembro de vc, pois foi aqui que vi a 1ª vez, e prometo a mim mesma que vou comprar para testar e nunca o faço. Quanto à lojinha, é realmente muito ruim quando a pessoa se sente pressionada para fazer algo e tem noção que não está na hora. Melhor assumir e reabrir com mais confiança e tranquilidade. Afinal a costura é sem dúvida, e antes de mais, uma terapia excelente! beijo para vc!

    ResponderExcluir
  5. OI Pri,
    As costurices estão lindas!!
    Sei bem como é essa história de loja... por aqui também fechei as portas pq. assim como você sempre achava que as coisas não estavam perfeitas para serem vendidas e ainda estou pensando na melhor maneira de voltar a ativa - sei que tenho que me cobrar menos, mas não consigo e qdo vejo alguém vendendo coisas que não são tão bonitas ou bem acabadas eu penso que sei fazer melhor e com mais qualidade. Mas seguimos em frente, né??

    Beijos,
    Renata {www.nomeuapartamento.com.br}

    ResponderExcluir

Obrigada por costurar seu comentário aqui no bloguinho! ♥
Perguntas são respondidas no seu blog.