23 de out de 2013

porta-passaporte + mini-férias

Não tenho me dedicado o suficiente pro meu querido hobby, mas acho que tudo tem um momento. Prefiro não forçar nada. Minha cabeça está a mil e não quero que o prazer se torne culpa. Tenho me ocupado na máquina de costura apenas de reparos e pequenos projetinhos pessoais e algumas necessidades, que bem que poderiam ser mais freqüentes (culpa chegando), mas as coisas acontecem quando têm que acontecer. A vida é feita de ciclos e amadurecimentos.
Mais uma vez pensando na breve viagem que farei com a minha família, fiz este pequeno clássico (também podemos chamá-lo de clássico :) para proteger os passaportes dos pequenos. Percebi que de um tempo para cá, tenho feito tudo em dobro já que o menino já está grande o suficiente para também pedir coisas pra ele e ficar chateado se não faço pra ele também.

Espero que o tempinho offline me ajude a recuperar a inspiração para fazer projetinhos não tão simples como esse e mais desafiadores, quem sabe até, engatar o pequeno negócio criativo de novo. 

Estarei em novembro de novo por aqui. ♥

11 de out de 2013

porta-coisinhas de criança





Eu demoro pra voltar, mas volto. Obrigada a todos os comentários e palavras amigas que me incentivaram a fazer não apenas esse projetinho, mas também a me dedicar a outros. O momento é confuso, quero muito costurar mas estamos nos organizando pra uma viagem no fim do mês e como vamos de carro e será um trajeto longo, providenciei um porta-coisas para ser fixado na parte detrás dos bancos dianteiros do carro, de modo que fique fácil para as crianças apanharem algo na estrada, bem em frente a elas. Um clássico de Pinterest e outros blogs por aí. Faz muito tempo que quero fazê-lo, mas este é o melhor momento para fazer esse porta-coisinhas.





Apesar de eu enxergar ainda tortinhos e pontinhos feios, fiapinhos... tá bom. Atendeu a minha necessidade e como o menino já pede também, foi feita uma versão para ele. Eu não tinha azul, verde e outras cores clássicas masculinas. Só tinha aquele tecidinho do coração, de onde peguei alguns retalhos para decorar os bolsos do simples porta-coisinhas preto dele. O mesmo tecido, já foi usado em um álbum e em uma maleta para desenho antes. Até quero muito comprar mais tecidinhos do coração, mas é que ando meio apertada, dura e na pindaíba, porque prefiro voltar da viagem pra depois investir de novo tempo e dindin no meu pequeno negócio criativo. Não por isso vou deixar de fazer só porque não tenho O tecido azul!

Mas o problema é que meu carro é pequeno e mal pude fotografar. Ficou mais ou menos assim:

O importante é que ele é funcional e no carro do marido (maior e mais confortável) vai ser muito prático pra viagem. 

4 de out de 2013

saquinhos de dormir

O outono chegou por aqui. Uma estação deliciosa. Mas com ele, chegam o novo ano escolar, uma nova rotina, uma nova temperatura e com ela, gripes e resfriados dos filhos. Tudo isso combinado a novos planos me afastaram recentemente da blogosfera. Meu cantinho criativo estava ali o tempo todo, me chamando. Mas já percebi que quando faço as coisas sem amor, dá tudo errado. A costura sai feia, o tecido não é suficiente, o corte fica errado.


Também fui pega pela energia negativa de uma crítica. O aniversário do meu filho foi há quase dois meses e uma pessoa que sempre me deu o maior apoio no meu 'trabalhinho' criticou o meu empenho em compor uma festinha tão decorada para uma criança que completava apenas 3 anos e não tinha noção daquilo tudo, diferente do aniversário da minha filha, que é mais velha. Para o ponto de vista dessa pessoa, aquilo tudo se tornava desnecessário, já que o menino é tão pequeno e só queria brincar e talvez comer um pedaço de bolo.


A crítica ainda não foi engolida, absorvida, processada. Me derrubou e fiz algo simples mesmo, nem dividi por aqui. Tudo o que criei pra festinha se tornou automaticamente descartável. Olhei para as minhas coisinhas e fiz esses saquinhos para aquecer as minhas 'netas'. Já tinha até feito antes, mas como minha filha tinha bonecas passando frio, como ela mesmo disse, precisei providenciar mais. E aos poucos volto às costurices, os pontos ficaram meio imperfeitos, viés dobrado, avesso vergonhoso pra quem ama costurar. É impressionante como a energia da gente reflete em tudo. Espero que o bichinho da arte me pegue de novo.